quinta-feira, 15 de junho de 2006

Sobre os detalhes que cercam os dias...

Os dias acontecem e paralelo aos dias que acontecem, acontecem as noites que acontecem. Por vezes acontecem pormenores que nos fazem perambular dentre os nossos sonhos os nossos ossos frios os nossos acasos pensamentos que nascem crescem e morrem sem razão, sem virgulas, sem sinais de pontuação! Eles passam, como um rio que corre entre pedras, pedras que com o tempo se tornam construções, e depois de contruído habitou uma princesa e um príncipe, que morreram quando o rio voltou a correr por entre as pedras...
Os dias acontecem mudos e diante de nossos olhos nos permitem dias aconchegados em nossas mãos, fajutos dias e detalhes guardados em repouso. Fajutas horas em que me deixo ser e esqueço... e que se cresce em ser sabendo que sem ao menos ser se saiba pouco e alguma coisa mais se diga, em um espaço oco chamado solidão de algum momento (sem pontuação) que paira... Brisa passa beija e embala pensamentos de quem um dia simplesmente... am... ... amanheceu num dia normal e pôde sorrir!

http://www.tdnet.com.br/lerbr/om_metade.html
e o que une as duas é a força e a delicadeza de mim, para mim...
Clica em = The Riddle (^^ não achei a letra em outro lugar!) =
http://www.fiveforfighting.com/

Um comentário:

Anônimo disse...

I find some information here.