sábado, 1 de julho de 2006

Sobre Ler-se Agora

Porque eu sei que as linhas são o que eu sinto, de um jeito diferente. O que sente em mim e o que se faz sentir afora. E ler-se próximo deste agora será como ler os próprios prantos... Ler-se depois nos restará diferença, quando lemos com o nosso comum 'quase felicidade' será como poder correr em um campo verde sem se preocupar com 'quase nada'...

...Vazio, quando escrevo e choro. choro e escrevo quando, Vazio...

Um passo, novamente faz um verso, canta uma canção de silêncio, porque as canções em si correm por dentro, como quando um trem segue seu caminho.
Um passo, novamente faz um verso, canta uma canção de silêncio, porque as canções em si nascem de graça, e com sua graça acalentam o existir que se bifurca no riso e na lágrima.
Um passo, novamente faz um verso, canta uma canção de silêncio, porque as canções em si morrem aos poucos, separando o que é sonho do que existe.

Enquanto ela canta, o medo se dilui no pranto. Enquanto ela chora, as letras tomam a forma do vazio bem ocupado, e parece que é bonito.
Um canto de som que não existia como aqueles cantos de lágrimas, como ficar e estar e permanecer sem ao menos o desejo de continuar, mas continua, e as linhas dela perguntam "Porque você continua?". Não sabe a resposta, mas as linhas se silenciam e o choro cessa.

http://anonimoincognito.blogspot.com/2006/06/teorias-do-corao.html

http://www.youtube.com/watch?v=lcrhnJuzf1o&search=Yanni

http://www.youtube.com/watch?v=DTSroAUygiQ&search=Black%20Balloon%20-%20Goo%20Goo%20Dolls

/P.s.: não ligue para o vídeo ¬¬" /

Parece tudo mas não é nada. Acaba sempre acabando tudo, e o conteúdo do tudo passageiro resultante em nada válido. Sua dor é para se sentir e vê-la passar. Como nada é eterno, meus recados de uma voz de mim também tem fim...

Um comentário:

Anônimo disse...

I find some information here.